Na Luta pela Escola Pública

Este blog pretende criar um espaço para informações e discussões sobre Escola Pública na Região dos Lagos, com destaque para o município de Cabo Frio.

O nome “Pó de Giz” é tomado, por empréstimo, do antigo time de futebol dos professores do Colégio Municipal Rui Barbosa. Um colégio reconhecido por sua luta pela educação pública de qualidade. Um lugar onde fervilha a discussão educacional, política e social. Colégio que contribui de maneira significativa na formação de seus alunos, lugar onde se trabalha com o sentido do coletivo.

O " Pó de Giz" é uma singela homenagem a essa escola que tem um "pequeno" espaço educacional, mas corajoso e enorme lugar de formação cidadã.


sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Informes sobre a assembleia da Rede Municipal de Cabo Frio, hoje, 24/09, na E.M. Prof. Edílson Duarte:

Tivemos uma assembleia V-I-T-O-R-I-O-S-A !
Mas, a assembleia não foi tomada de pessoas convocadas pelo governo para votarem? S-I-M , FOI TOMADA!!!
Mas, que governo precisaria mobilizar tanta gente para eleger representantes do CACSFundeb? 
Um governo que sabe que este conselho é local de LUTA!
Nós fizemos desse conselho LUTA e, caro governo, A LUTA É SEM VOLTA!
Conseguimos, com dificuldade, eleger nossos bravos representantes SUPLENTES na assembleia de hoje, e isso é uma GRANDE VITÓRIA diante do quadro que tínhamos!
Aos representantes do governo eleitos como representantes TITULARES da categoria, saibam: a mesma assembleia que os elegeu pode se reunir novamente, caso, a partir da posse, não representem a CATEGORIA.
Essa cadeira é NOSSA, DA CATEGORIA, e esperamos que todos que nela tomem assento compreendam de qual lado deverão estar.
Foi uma assembleia para ficar na história e para que aprendamos algumas lições.
Estou completamente satisfeita em ter feito mais de 100 representantes do governo permanecerem de 18h as 22h ouvindo cada uma das falas de nossos bravos e bravas COMPANHEIROS E COMPANHEIRAS DE LUTA!




quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Ato contra o SAERJ saiu no Portal RC24h

São Pedro da Aldeia

Alunos fazem manifestação em São Pedro da Aldeia

Estudantes da Escola Estadual Feliciano Sodré, no bairro Balneário, em São Pedro da Aldeia, fizeram uma manifestação pedindo mudanças e a criação de um grêmio estudantil

Em: 23/09/2015 às 16:12:23
Alex Tavares
  

Alunos da Escola Estadual Feliciano Sodré, no bairro Balneário, em São Pedro da Aldeia, fizeram um protesto em frente a instituição na tarde desta quarta-feira (23).

De acordo com alunos do grupo de apoio escolar, entre as principais reivindicações estão a criação de um grêmio estudantil que tenha representatividade nas decisões da escola, mais comprometimento e respeito por parte de funcionários e direção, melhoria na qualidade de ensino e livre acesso aos laboratórios da escola.

- Eles passam para a mídia que a educação é uma coisa, quando na verdade é outra. Fizemos um grupo de debates sobre assuntos ligados à escola, e tentamos por diversas vezes dialogar com a direção, que não nos ouve. Não tivemos outra escolha a não ser fazer essa manifestação. A maioria dos alunos que encabeça esse protesto é do 3º ano. Poderíamos muito bem deixar para lá, já que em breve estaremos fora da escola. No entanto, queremos deixar como legado a luta pelo resgate do ensino de qualidade que tínhamos até bem pouco tempo atrás – disse uma das alunas que participaram do ato.

 Tópicos: Escola Estadual Feliciano Sodré,  São Pedro da Aldeia, 

Fotos



Portal da Repórter Renata Cristiane - 24h

Assembleia em Cabo Frio

Amanhã é dia de Assembleia Municipal.
Precisamos organizar a luta.
Tempos sombrios, caos administrativo...
Vem pra luta!




terça-feira, 22 de setembro de 2015

0 %



Do mural do Prof Mauro

POR QUE NÃO APLICAR O SAERJ/SAERJINHO?

• O governo gasta milhões dos recursos públicos por ano para garantir a aplicação das avaliações externas, em contrapartida se recusa a reajustar o salário dos profissionais da educação e investir em infraestrutura e melhores condições de trabalho.
• A política de metas, fundamentada nos princípios da meritocracia, é um método de responsabilização dos professores, funcionários e estudantes pelos problemas e debilidades da escola, ao mesmo tempo em que isenta o governo de qualquer culpa sobre a precarização da rede pública de ensino. Os problemas da escola são nossos, mas não fomos nós que os criamos, o governo é o verdadeiro responsável!
• Os trabalhadores da educação sofreram uma perda salarial enorme nos últimos anos, nossos salários têm sido corroídos pela alta inflação em consequência da ausência de reajustes. Com o Saerj e outras medidas de “avaliação” o governo pretende nos impor a ideia de que se os alunos não correspondem as expectativas, é por exclusiva incompetência dos professores e funcionários, não sendo, portanto, merecedores das gratificações. Ou seja, subordinam a remuneração dos profissionais às metas, mantendo uma dura política de arrocho salarial.
• Os resultados do saerj/saerjinho são utilizados contra as instituições de ensino. É perfeitamente questionável a utilização de provas objetivas como método para avaliação de uma escola. Isso, em si, já é um grande problema, porém, mais grave ainda, é usar o resultado desses exames para punir as escolas que não alcançam as metas estipuladas. Se realmente existisse preocupação com a qualidade do ensino, o governo faria justamente o contrário, investiria e tomaria os cuidados necessários principalmente com as escolas que apresentam mais deficiências e dificuldades, o que contribuiria para redução da desigualdade entre as unidades. A meritocracia “favorece” um número reduzido de escolas, marginalizando as demais e aprofundando seus problemas.
• O saerj/saerjinho também tem ferido a autonomia pedagógica do professor(a). A elaboração das provas é fruto de um processo autoritário que não passa pelos profissionais das escolas e que se impõe com um caráter “obrigatório” através de determinações em portarias. Observamos uma tendência geral nas escolas da Rede Estadual de desmerecimento das avaliações criadas pelo(a) professor(a) – quem realmente conhece a realidade objetiva e, por isso, está em melhores condições de avaliar – e uma supervalorização das avaliações externas. Isso se expressa de forma mais clara quando, em alguns casos, os alunos recebem pontuação simplesmente por terem realizado a prova, independente de seu rendimento. O saerjinho funciona como um treinamento para o Saerj, que por sua vez, pode ser entendido como um treinamento para o Saeb (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica), dessa forma, converte-se os educadores em preparadores para provas – cujos resultados não expressam a realidade. Educar para além de habilidades e competências, ou seja, para a construção de uma prática questionadora e transformadora, para a criatividade e inventividade, etc., torna-se secundário. Pretende-se com tudo isso criar índices que mascarem a realidade, dados que sirvam como uma maquiagem que sirva para dificultar enxergar os problemas fundamentais da educação.
• Um projeto meritocrático muito semelhante é aplicado em escolas nos Estados Unidos, o desfecho desse processo lá é o que já sofremos aqui em certa medida e ainda nos aguarda de forma mais aprofundada num futuro próximo, a privatização do ensino público. As autoridades públicas nos EUA trataram de responsabilizar as escolas pelos seus problemas, reduzir investimentos, precarizar e, por fim, vender a educação para iniciativa privada. Junto com a privatização, vem o aumento da instabilidade profissional, redução da autonomia, deterioração das condições de vida dos trabalhadores e restrição do acesso ao direito à educação.
BOICOTE AO SAERJ/SAERJINHO!
GARANTIR A AUTONOMIA PEDAGÓGIA E UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE!
FIM IMEDIATO DA MERTOCRACIA NA EDUCAÇÃO PÚBLICA!
COMITÊ DE MOBILIZAÇÃO – C. E JORNALISTA TIM LOPES


segunda-feira, 21 de setembro de 2015

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Assine!

Nossa pressão começa a fazer efeito, foi publicado agora (17/9) na página do SEPE sobre nossa pauta: "Nenhuma disciplina com menos de 2 tempos: será realizada reunião especifica na SEEDUC no dia 23/09 (4ª feira) às 10h, sobre disciplinas com menos de 2 tempos. Foi garantida a presença de dois representantes de Sociologia e Filosofia". Nenhum recuo, lutar radicalmente até mudarmos de fato esta grade curricular absurda anunciada para 2016. Contribua com nossa luta

LINK AQUI

Nenhuma disciplina com menos de 2 tempos de aula!

Convocamos os colegas para participarem do grupo de discussão sobre a grade curricular de Filosofia e Sociologia. Na última reunião tiramos algumas tarefas para serem executadas no intuito de avançar na luta. É necessário nos organizarmos, ou ficaremos a mercê das circunstâncias e das ações coercitivas da Secretaria de Educação. 
PRÓXIMA REUNIÃO DIA 26/09 – 14H
Local: Sepe Central
Endereço: Rua Evaristo da Veiga, 55 - 8º andar - Centro - Rio de Janeiro/RJ 
Tel: (21) 2195-0450



quarta-feira, 16 de setembro de 2015

O SEPE precisa promover Curso de Formação Política para seus profissionais: URGENTE!

Quando uma direção de escola propõe que a "doença" seja o "remédio" é sinal que estamos no fundo do poço...
L-A-M-E-N-T-Á-V-E-L o nível de alienação de algumas escolas e de alguns gestores!
Diga NÃO à farsa da Meritocracia!




Revogação da Perda de Origem da Escola por Licença Médica por mais de 120 dias na Rede Estadual

Revogação da Perda de Origem da Escola por Licença Médica por mais de 120 dias ! Luta da Categoria dos Profissionais de Educação do Estado do RJ !



Saiu edital para o concurso de Arraial do Cabo

Finalmente, depois de 10 anos saiu o edital para o Concurso de Arraial do Cabo.
Parabéns aos bravos guerreiros profissionais da educação que tanto lutaram por este concurso!

Link AQUI

terça-feira, 15 de setembro de 2015


Falta TUDO!

As escolas municipais em Cabo Frio estão SEM o repasse de verbas para manutenção. Último mês repassado foi julho.


Vergonha!!!

Profissionais da Educação de Cabo Frio em licença média, pensionistas e contratados 

SEM pagamento até hoje, 14/9! Vergonha!!! 



terça-feira, 8 de setembro de 2015

Sepe esclarece:

 Sepe esclarece queao contrário do que foi dito pelo governador Luiz Fernando Pezãoà imprensa (“O Sepe me trouxeuma pauta de 28 itens e nós atendemos 27”), o sindicato não apresentou uma pauta com todos esses itens e sim oito,incluindo o reajuste salarialAlém dissovários desses itens não foram implementados ainda. A seguirresumimos apauta discutida na última audiência com o govenador, no dia 25/08:

1) Reajuste Salarial e enquadramento por formação (professores e funcionários): o governador informou que não haveráreajuste salarial em 2015. Em relação ao enquadramento por formação, reconhece a dívida e estuda uma forma de pagar, priorizando os enquadramentos de 2012, mas não informou nenhum cronograma a respeito;

2) Abono dos dias de greve e paralisações para fins funcionais: Pezão havia garantido que até o dia 28/08 publicaria no Diário Oficial os abonos, o que ainda não ocorreu;

3) Fim da centralização da Perícia Médica e revogação da Resolução 4.474, que retira o servidor do local de origem em que trabalha após 120 dias de licença médica: o governador afirmou que somente a partir do ano que vem irá descentralizar a Perícia; ele também se comprometeu em revogar a resolução nº 4.474, o que ainda não ocorreu;

4) Ação do Nova Escola para os aposentados: o governo informou que fará uma reunião com o Sepe e Procuradoria Geral do Estado (PGE) para discutir esta questão – a reunião ainda não foi marcada;

5) Trabalho obrigatório aos sábados (“Sábados letivos”): a SEEDUC, na reunião com o governador, se comprometeu a fazer uma nova orientação, em conjunto com o sindicato, acabando com o trabalho obrigatório. No entanto, a SEEDUC enviou às escolas a orientação sem as emendas propostas pelo Sepe, desconsiderando o acordo feito com o Sepe;

6) 30 horas de trabalho para funcionários: Pezão se comprometeu a criar um Grupo de Trabalho (GT) com o Sepe, ALERJ, Seplag, SEEDUC e PGE para discutir o tema, mas o GT ainda não foi formado;

7) Pagamento retroativo para os animadores culturais do reajuste de 9% concedido ano passado : Pezão reconhece que os animadores têm direito a receberem os atrasados, mas quer resolver os problemas jurídicos que impedem o pagamento. Não apresentou nenhum cronograma;

8) Pauta pedagógica: será formado um GT entre o Sepe e a SEEDUC para discutir o tema, que fará sua primeira reunião no dia 17/09.

Texto originem no site do Sepe RJ

Grito dos Excluídos

Conforme deliberado em assembleia, realizamos a atividade do dia 07/09 - Grito dos Excluídos. Denunciamos aos turistas que enchiam a orla da Praia do Forte, em Cabo Frio, o descaso e a falta de compromisso do governo com a educação estadual. Esclarecemos a todos que passavam nossa pauta de reivindicações e o reajuste ZERO para a categoria. 


No Rio de Janeiro:




Abono de Faltas - D.O. 08/09/15


sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Conselho Escolar

Mesmo com apenas 10 anos, Taciane Souza, que cursa o 4º ano do ensino fundamental na Escola Municipal Arminda Tereza Zillvock, em Cascavel, no Paraná, entende que tem papel importante além da sala de aula. Para a estudante, participar das atividades dentro da escola é motivo de orgulho. Sempre que é convidada, Taciane comparece ativamente às reuniões do Conselho Escolar. 
A escola onde ela estuda possui um conselho bastante unido, como conta a diretora Rosane Aparecida Correa.
Mas afinal, o que é o conselho escolar e como ele funciona? Essa é uma pergunta que  muitos pais se fazem, ao receberem o aviso de “reunião do conselho” nas escolas dos filhos.
O Conselho Escolar é o órgão colegiado da escola, com representantes dos estudantes, dos pais, além do diretor, que é membro nato do conselho escolar.  O conselho também pode, ou não, ter um representante da comunidade local.  
O objetivo é transformar a escola em um lugar democrático, onde todos os assuntos relacionados à gestão administrativa, financeira e pedagógica são discutidos. 
O Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares do MEC oferece cursos de formação para os conselheiros das escolas.
Hoje, existem cerca de 51 mil conselheiros convidados  a participarem de avaliações externas e diagnósticos junto à Secretaria de Educação dos estados e municípios. 
A ideia é transformar os Conselhos em um instrumento de construção das políticas de educação no país, como explica o coordenador do Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares, José Roberto Júnior. 
O trabalho dos conselhos é uma importante ferramenta para a discussão na Base Nacional Comum Curricular. Além da participação de toda a comunidade escolar, o Ministério da Educação convida toda a sociedade para participar com suas sugestões e opiniões à uma consulta pública no site da Base, na internet.   
Todos os conselheiros interessados em opinar, sugerir ou questionar algo referente à educação também podem participar por meio do portal Dialoga Brasil. A página do Governo Federal é aberta para a conversa com todos os cidadãos brasileiros. 
Ficou interessado nas ações do MEC voltadas para o Conselho Escolar? Então acesse o site do programa e saiba como participar. O endereço é : pnfce.virtual.ufc.br.
O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios.

03/09/2015 – Sonora: Karenina Moss



Calendário de Luta - Rede Estadual


Exu não pode?


Filosofia e Sociologia - Rede Estadual


Criação de vagas para concurso em Arraial do Cabo



Convocação da Rede Estadual

Atenção aos que fizeram concurso para Rede Estadual fiquem atentos!
Muitas convocações no D.O.!
http://www.rj.gov.br/web/seeduc/exibeconteudo…

Chamada para Assembleia - Escolha de servidores para o FUNDEB Buzios


Paralisação - Cabo Frio